A beleza dos algoritmos de recomendação secretos, surpreendentes e assustadoramente precisos do TikTok
Humanos e tecnologia

A beleza dos algoritmos de recomendação secretos, surpreendentes e assustadoramente precisos do TikTok

A página “Para você” do aplicativo regularmente apresenta criadores de conteúdo novos ou desconhecidos ao lado de outros com milhões de fãs.

Por que é  importante:
Eles mudaram as regras que determinavam quem fica famoso online.

Protagonistas:
TikTok

Disponibilidade:
Imediata

Deven  Karpelman  nunca teria se inscrito  no TikTok  se não fosse pela pandemia.  E ela certamente nunca esperou ser famosa nele.  Mas o aplicativo tem uma maneira de recompensar um bom conteúdo com visualizações, colocando novos criadores diante de um amplo espectro de fãs.  Foi assim que  Karpelman, de 57 anos que trabalha com educação especial e começou a fazer vídeos para evitar o tédio do confinamento, acabou com 327.000 seguidores, muitos dos quais têm uma fração de sua idade.

Em um de seus vídeos mais curtidos de julho,  Karpelman , conhecida como  @tequilaanddonuts  — recria os visuais que ela costumava usar no final dos anos 70.  Seu cabelo branco ondulado, que normalmente cai em torno de seu rosto dando uma aparência mais antiquada, está preso e arrumado em um estilo fauxhawk.  Ela cobriu o rosto com pó facial branco, pintou as pálpebras de preto e fez uma linha fina em seus lábios com batom escuro.  A cena então é cortada e, quando  Karpelman  volta, ela mostra sua “maquiagem extravagante” que usava para sair.  A sombra negra se estendeu por todo o rosto e pelos dois olhos, como se alguém tivesse feito um gesto furioso com um pincel.

Horas depois que ela compartilhou esse experimento de maquiagem, ele foi mostrado a centenas de milhares de pessoas em suas páginas “Para você”, a força vital do  TikTok.  Não fez sentido para ela por que esse post em particular ficou tão popular de repente, exceto que  os  algoritmos de recomendação  do TikTok tiveram alguma influência.

Grandes sucessos

Desde o lançamento do  TikTok  na China em 2016, ele se tornou uma das  plataformas de rede social  mais envolventes e  de crescimento mais rápido  do mundo.  Ele foi  baixado mais de 2,6 bilhões de vezes  globalmente e tem  100 milhões de usuários  nos Estados Unidos.  E a maneira única como ele encontra e fornece conteúdo é uma grande parte de seu atrativo.

A página “Para você” é o que a maioria  dos  criadores de  TikTok  pensa que torna o aplicativo diferente de outras plataformas de mídia social, porque qualquer um pode ficar famoso lá.  Um bom conteúdo é recompensado com mais rapidez, impulsionado pelos algoritmos que mostram aos usuários um fluxo infinito de vídeos personalizados de acordo com seus gostos.  Enquanto outras plataformas de mídia social favorecem o conteúdo viral com apelo de massa,  os  algoritmos  do  TikTok  provaram ser especialmente habilidosos a conectar criadores em comunidades de nicho que compartilham interesses, hobbies ou uma identidade particular.

As chances de um vídeo acabar na página “Para você”  são  determinadas, entre outras coisas, pelas legendas, sons e hashtags nele.  E como  acontece com qualquer outra plataforma de rede social, o que o  TikTok  escolhe para mostrar a você é baseado em como você usa o aplicativo — quais vídeos você gostou, qual conteúdo você cria.  A diferença é que o  TikTok  é melhor nisso.

Para  Karpelman, o  TikTok  permitiu que ela se conectasse com estranhos durante um momento difícil e solitário, mas a fama lhe trouxe seus próprios problemas.

Criadores já populares têm mais facilidade em chamar atenção, mas o  TikTok  não leva diretamente o número de seguidores de um criador ou o histórico viral em consideração ao descobrir qual conteúdo distribuir e onde.  É por isso que as páginas “For You” misturam sucessos virais com novos vídeos de criadores desconhecidos, alguns dos quais têm apenas algumas visualizações.

Com o tempo,  os  algoritmos  do TikTok  ficam melhores em adivinhar no que os usuários estão interessados, não apenas conectando-os a vídeos dentro de suas próprias áreas de interesse, mas levando-os a novos espaços que têm alguma sobreposição.  (Um vídeo viral  apresentou as  comunidades  de TikTok  como um mapa do tesouro: para chegar ao saudável mundo dos vídeos de sapos no TikTok , você tinha que sair do espectro de conteúdos hétero, encontrar seu caminho para vídeos de Bruxas Chapadas ou o pastoral  Cottagecore, passar por conteúdos de Trans e não binários e “ir através do portal para chegar à terra prometida”.)

Karpelman  começou a fazer vídeos de maquiagem depois que adolescentes no  TikTok  tentaram corrigi-la sobre uma estética que ela viveu no auge quando mais nova.  “[Eles estavam] tentando me ensinar sobre ser hardcore e, você sabe, ser alternativo.  E eu fiquei tipo, ‘Oh, querida criança, você não inventou o pecado’”, ela me disse quando conversamos no Zoom em dezembro.

Agora, seus vídeos aparecem muito em comunidades dedicadas a LGBTQ + e voltados para a saúde mental e recentemente conquistou um público de mulheres em idade universitária, diz ela.  Seguidores dizem que ela tem “energia de vovozinha”, uma distinção à qual ela alternadamente se agarra e se esquiva.

Contratempos

O ano passado foi interessante para o  TikTok: assim como sua relevância cultural explodiu, ela também enfrentou desafios.  A Índia proibiu o aplicativo, e o governo Trump ameaçou fazer o mesmo, a menos que  a  matriz chinesa  do TikTok  cortasse todos os laços.  (A ameaça não foi cumprida.)

O TikTok  teve que disponibilizar mais informações sobre como seus algoritmos funcionam, parcialmente em resposta às preocupações de segurança sobre sua propriedade, e concorrentes como Instagram, Snapchat e  Triller  aceleraram as tentativas de copiar o que torna as recomendações de seus rivais tão boas.

Ao mesmo tempo, a plataforma foi forçada a contar com seu papel cada vez maior na amplificação da desinformação, e muitos criadores negros disseram que o  racismo e o assédio  são perturbadoramente predominantes nela.

Para Karpelman, o TikTok permitiu que ela se conectasse com estranhos durante um momento difícil e solitário, mas a fama lhe trouxe seus próprios problemas. Fãs pediram ajuda a ela com problemas sérios de saúde mental e conflitos interpessoais.  Às vezes, eles querem mais dela do que ela acha que pode dar.

Sua experiência de trabalho com alunos é útil: ela estabelece limites e ajuda jovens fãs a aprenderem a se defender.  “Vamos pesquisar no Google”, ela diz.  “Vamos dar uma olhada na administração do seu [colégio].  Oh, parece que há um psicólogo que atende de todo o distrito.  Vou ajudá-lo a montar um e-mail. Você me manda, eu vou revisar e mandar de volta para você, e então você manda para essas pessoas.  Dê uma chance”.

Mas  Karpelman  encontrou outra maneira de se conectar com seu público jovem: falando sobre o que eles têm em comum.  Em um vídeo, ela demonstra como finge estar ao telefone para evitar um vendedor particularmente insistente em um shopping.  “Havia um monte de crianças que comentavam: ‘Eu não fazia ideia de que os adultos tinham essas ansiedades sociais’, e isso meio que me surpreendeu!”, diz ela.  “As crianças simplesmente não têm ideia de que as pessoas mais velhas são humanas”.

2021 – 10 tecnologias inovadoras

  • Vacinas de RNA mensageiro
  • GPT-3
  • Data Trust
  • Baterias de metal de lítio
  • Rastreamento de contato digital
  • Posicionamento de hiperprecisão
  • Tudo remoto
  • IA multiqualificada
  • Algoritmos de recomendação do TikTok
  • Hidrogênio verde

Nossos tópicos