Os enigmas da Inteligência Artificial para o Marketing, desvendados – III
Inteligência artificial

Os enigmas da Inteligência Artificial para o Marketing, desvendados – III

Há inúmeros usos da Inteligência Artificial para o Marketing. Neste terceiro artigo de uma série de 5, vamos abordar IoT Solutions e Robots.

A Internet das Coisas será um pouco mais do que propriamente Internet. Vai ser, digamos, um pouco de tudo o que teremos a nossa volta e um pouco de tudo com o que nos relacionaremos, além de pessoas. Bem, talvez até incluindo as pessoas, já que estaremos em boa medida “chipados” e nossos corpos conectados, tornando tudo isso bem mais do que apenas uma Internet e bem mais do que das Coisas, já que eu e você, pelo menos até o momento, ainda não somos… Coisas.

Robôs até pode ser, mas Coisas, não vem, não!

A Internet das Coisas, você certamente já leu por aí, será (e já está sendo, em verdade) viabilizada porque tudo que puder carregar um chip, inclusive como acabo de dizer, nós mesmos, vai sim carregar um chip. Estamos falando, estima-se, em cerca de 75 bilhões de Coisas já em 2025, fora gente. Essa interconexão exponencial configura um novo mundo. Um mundo mais perto da ficção científica do que um mundo real, como este linear e sem graça que vivemos até hoje. Pelo menos é o que dizem, né?

Para efeito de conhecimento geral, a Internet das Coisas está se tornando possível, aos poucos, mas inevitavelmente pelo 5G. É esse novo protocolo que viabilizará toda essa interconexão, com velocidade muitas vezes superior à que temos hoje. Mas, como você já entendeu pelo que leu até aqui, muito mais pervasiva e transformadora do que jamais vivemos. Veja o organograma abaixo e entenda as possibilidades:

E o marketing com isso? O marketing vai virar IoT Marketing, mais que uma disciplina, uma nova forma interativa e conectada nas coisas. Se ele não for bobinho, estará embedado nessas coisas todas, conversando e se conectando da forma que puder, por meio de cada um desses bilhões de chips, com quem estiver ao alcance deles, ou que estiver usando, em si mesmo, ou em suas roupas, relógios e objetos pessoais, etc. Esses tais chips.

Quer algumas ideias mais práticas? Algumas já estão entre nós e você nem está percebendo. Vamos lá:

EMBALAGENS 3.0 – Fácil… QR Codes, RFID ou outros tipos de conectores de NFC (Near Field Communication) com os quais o consumidor vai poder interagir, saltando do mundo físico para o digital e vice-versa, numa interação que já começamos a ver hoje nos supermercados por aí, mas que vai se intensificar barbaramente.

ASSISTENTES DE VOZ – A voz será um dos mais ativos protocolos de comunicação e marketing daqui em diante, ainda mais numa sociedade cada vez mais touchless. Já conhecemos assistentes de voz como Alexa, Siri e Google Assistant. Mas imagine que um chip pode estar em inúmeros outros tipos de objetos permitindo o contato por voz do consumidor com a sua marca.

BEACONS – Já conhecemos, mas eles devem ampliar sua presença nas lojas, integrando-as ao digital de forma interativa e geolocalizada. O ponto de venda físico se mistura ao virtual, virando tudo uma coisa só.

CARROS CONECTADOS – Eles, os carros, coisas por excelência, vão virar estações ambulantes de conectividade, entretenimento, serviços e… marketing.

RELÓGIOS, ÓCULOS, ROUPAS E TALS – já os conhecemos também. Os smart objects de uso pessoal vão disputar espaço em nosso corpo, todos conectados e todos grudados em nós. O marketing idem.

Entendeu o mundão novo que virá em breve para você que é de marketing?

E os robôs? Bom, chatbots já estão por todas as partes, e eles são robôs. Entendem nossa língua e se comunicam conosco. Eles servem para otimizar o UX, CRM, conversão de vendas e um montão de outras coisas. Você já sabe, isso já rola. Mas essa é uma forma estreita de entender robôs. Esses são robôs digitais que operam na Internet ou por meio de outras formas de conectividade, como as que descrevi acima.

Só que robôs com Inteligência Artificial podem ser usados para, por exemplo, interação física direta conosco, consumidores, em pontos de venda, em hotéis, em balcões de embarque em aeroportos, em feiras e eventos, enfim, sim, estamos falando de robozinhos, feito gente, que se movem e andam entre nós. Esses robôs vão atender pessoas em lanchonetes e restaurantes, vão preparar drinks no bar e sanduiches na grelha. Vão poder conversar com os consumidores e passar mensagens das marcas.

A Inteligência Artificial conectada com o mundo da Internet das Coisas será um dos grandes avanços científicos da sociedade contemporânea. Como comentei em artigo recente sobre esse tema da interação entre as duas coisas, “o marketing passa a poder ser pervasivo e onipresente como nunca, já que estará, potencialmente, também participando dessa nova camada de interatividade digital em que os canais de contato se multiplicam de forma exponencial, integrando as audiências e os públicos-alvo com uma variedade gigante de aplicações e usos.” É isso.

ROBÔS PARA MARKETING

Nossos tópicos