Mudanças profundas na cultura do trabalho
Humanos e tecnologia

Mudanças profundas na cultura do trabalho

O trabalho remoto veio para ficar? A Technology Review Brasil, uma das principais publicações de tecnologia e negócios do mundo, com a chancela do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), produziu uma pesquisa que analisa os efeitos da pandemia que empurrou milhões para trabalhar em casa. Muitos deles provavelmente voltarão para um escritório muito diferente.

Esse artigo faz parte da nossa Special Edition Home Office: Work Anywhere

Analisamos as mudanças profundas na cultura do trabalho para auxiliar empresas e organizações nos movimentos de retomada. Faça download do material completo.

   


Metodologia

A pesquisa contou com 54 perguntas e foi aplicada de forma eletrônica, por link enviado nos e-mails de um vasto mailing, com cerca de 1400 respondentes, que mantiveram seu anonimato.

Resultados

Para avaliar de forma mais prática as vantagens e desvantagens do home office, assim como a tendência de uma nova rotina de trabalho num mundo pós- Covid, a Technology Review Brasil realizou uma série de entrevistas. Para além dos resultados relacionados ao home office, a primeira conclusão é que nenhum dos fatores área, cargo, salário, formação e idade podem ser relacionados ao desempenho dos profissionais, tampouco ao desejo de retornar ao escritório.

Porém, entre os entrevistados, dois traços de personalidade se mostraram relacionados ao desempenho:
• Indivíduos conscienciosos desempenharam melhor as suas funções durante o período de home office;
• Indivíduos com maior abertura a situações novas também
performaram melhor.

Com isso, seguindo a lógica, quem performou melhor tem maior tendência a manter o formato home office. São profissionais que se adaptaram de alguma forma ao trabalho em casa, mesmo em meio a uma pandemia, e mantiveram ou aumentaram sua produtividade.

De acordo com o levantamento, não houve impacto significativo em demissões/ admissões e no desempenho/vendas. A maioria dos entrevistados afirmou que usa, em casa, equipamento da empresa (notebook), e alguns pegaram cadeira da empresa para compor o espaço de trabalho em casa.

Já a internet é um custo exclusivo dos funcionários. A maioria não teve problemas com segurança da informação porque o fluxo de trabalho é feito praticamente todo na nuvem.

Vantagens destacadas

• Melhoria na produtividade;
• Reuniões com mais foco;
• Mais tempo com a família;
• Mais tempo livre (sem o deslocamento para o trabalho);
• Redução de custos para a empresa (aluguel e etc) e para o funcionário (alimentação
e transporte).

Desvantagens destacadas

• Falta de contato pessoal com os colegas de trabalho;
• Perda de concentração por causa da família e das tarefas do lar;
• Falta de infraestrutura (scanner, impressora e etc);
• Perda da noção do todo (presencialmente é mais fácil entender o que está acontecendo; reforçar o alinhamento de objetivos é fundamental);
• Sensação de trabalho onipresente, sem hora para acabar;
• Menos participação de algumas pessoas em reuniões (algumas não ligam a câmera e só ouvem);
• É preciso ser mais ativo, mais intraempreendedor, caso contrário as coisas não andam.

Quando perguntados sobre uma possível retomada das empresas aos escritórios e a consequente diminuição ou abandono total do home office, 6,5% dos entrevistados dizem não querer mais home office nenhum dia, e 93,5% querem manter pelo menos um dia desse formato. Destes, o maior grupo é de jovens com até 25 anos que moram sozinhos.

Quase 10% dos entrevistados não querem mais voltar para o escritório. E destes, o maior grupo é de adultos entre 35 e 44 anos, que entendem que podem conciliar suas atribuições pessoais e profissionais em casa.
O curioso é que 100% acredita que, quando a pandemia acabar, as empresas devem adotar um modelo híbrido, que mistura espaços de trabalho corporativos e home office. Com isso, será possível unir as vantagens do home office às vantagens do escritório.

Em 2020, o mundo todo se surpreendeu com a capacidade de adaptação de funcionários e empresas ao trabalho remoto. Alguns encontraram um pouco de dificuldade no início, mas agora se acostumaram. A parte boa desse período de teste forçado deve ser incorporada definitivamente quando a pandemia acabar. O modelo híbrido ideal seria 1 ou 2 dias em casa e o restante da semana no escritório.


Esse artigo faz parte da nossa Special Edition Home Office: Work Anywhere

Analisamos as mudanças profundas na cultura do trabalho para auxiliar empresas e organizações nos movimentos de retomada. Faça download do material completo.

Nossos tópicos