De diretor-chefe de tecnologia (CTO) a CEO
Computação

De diretor-chefe de tecnologia (CTO) a CEO

Como a liderança em tecnologia está impulsionando a agilidade e o crescimento dos negócios por meio do cloud computing.

Na era digital, a forte liderança em tecnologia se correlaciona cada vez mais com o crescimento da receita dos negócios. A estratégia tecnológica e a capacidade dos diretores de tecnologia (CTO) de entregá-la são essenciais para o sucesso do negócio, não apenas para gerenciar o desempenho e a eficiência de custos da tecnologia empresarial, mas também para aproveitar as oportunidades emergentes para criar a arquitetura e agilidade necessárias para novos modelos de negócios e alcançar clientes de maneiras inovadoras.

A arquitetura geral de tecnologia de uma empresa é cada vez mais fornecida como uma plataforma que permite a transformação digital em toda sua estrutura. Isso inclui o lançamento de novos softwares e processos de digitalização, construção de análises e recursos de machine learning, integração com clientes e terceiros e fornecimento de ferramentas e conectividade que permitem aos funcionários trabalhar de forma produtiva em qualquer lugar.

Coronavírus e o imperativo digital

A capacidade de uma empresa de competir na era digital (ou não) foi revelada pela pandemia do coronavírus. As empresas que demoraram a digitalizar canais de clientes, cadeias de fornecimento (supply chain) e as formas de trabalho dos funcionários tiveram dificuldade para se adaptar e se esforçaram para atualizar sua infraestrutura. As empresas mais avançadas de tecnologia foram capazes de se adaptar muito mais rapidamente.

O varejo serve como um exemplo claro. Embora as vendas globais no varejo caiam 5,6% neste ano, o e-commerce deve crescer 16,5%, para US$ 3,9 trilhões em 2020, totalizando 16% (ante 13% no ano passado) das vendas globais . Os varejistas com os canais digitais mais robustos estão em melhor posição para manter o crescimento.

De muitas maneiras, a pandemia aguçou as mentes em torno da necessidade de transformação e permitiu que as empresas desenvolvessem e implantassem sistemas em um ritmo que nunca aconteceria em tempos normais. Sem viagens de negócios e outras distrações, as equipes de liderança puderam se concentrar em novas iniciativas. A McKinsey entrevistou um executivo de um grande banco que disse ter finalmente lançado um novo programa de gestão de relacionamento com o cliente que não havia sido possível antes. A necessidade, diz o ditado, é a mãe da invenção.

Tecnologia é uma prioridade dos CEOs

Enquanto os CTOs estão no comando da execução da transformação digital, a estratégia e o roteiro são moldados a nível empresarial, para orientar os negócios por meio de mudanças no mercado e nas forças regulatórias. A chave para isso é desbloquear um modelo de negócios mais ágil, um dos principais motivadores da rápida mudança deste ano em direção à nuvem.

No passado, o cloud computing era considerado um estratagema tático de redução de custos. Mas seus benefícios mais importantes são permitir que as empresas aumentem a receita por meio do desenvolvimento mais rápido de novos produtos, inovação de processos e relacionamentos mais dinâmicos com os clientes. A nuvem permite que as empresas identifiquem mais clientes e aumentem a conversão de vendas, ao mesmo tempo em que melhoram as experiências dos consumidores com níveis mais elevados de serviço e personalização.

A tecnologia em nuvem também cria ambientes operacionais mais ágeis para as empresas, traduzindo decisões em ações de tecnologia em tempo real e como um ambiente “sandbox” para colaboração, tanto interna quanto externamente, com um ecossistema de participantes. A nuvem também está facilitando abordagens mais rápidas para o desenvolvimento de software, como práticas de “DevOps”, que os líderes de tecnologia usam cada vez mais para gerenciar equipes em ciclos de produção rápidos.

Uma pesquisa recente da MIT Technology Review americana revelou que 61% dos 300 líderes empresariais entrevistados estavam aumentando seus investimentos em tecnologias de nuvem como resultado direto da pandemia. As prioridades de inovação, disseram eles, se concentrariam principalmente na busca de novas parcerias e colaborações e na adoção de tecnologias de Inteligência Artificial e automação.

“A infraestrutura baseada em nuvem é a plataforma de negócios digital escolhida”, disse Jeff Zhang, presidente da Alibaba Cloud Intelligence na última Conferência Apsara, o principal evento anual de tecnologia da Alibaba. “Os CTOs que alavancam os recursos da nuvem continuarão a ser líderes de negócios essenciais, orientando a transformação dos negócios para partes da organização que se beneficiarão ainda mais da digitalização” Zhang acrescentou.

Um exemplo da digitalização rápida possibilitada pela nuvem é a parceria entre a líder automotiva global Ford e Alibaba Cloud, que levou ao desenvolvimento do Ford Mall, um canal de consumidor online que foi construído em menos de seis meses e permitiu à Ford compartilhar informações, melhorar as interações e aumentar a receita. O Ford Mall tornou-se um canal vital para alcançar clientes no que tradicionalmente poderia ser considerado um negócio mais “físico”. No entanto, as pesquisas mostram que 92% dos compradores de automóveis fazem suas pesquisas online e gastam até 60% do tempo total de compras na Internet.

CTOs como os próximos CEOs?

Ajudar a empresa a operar em meio à Covid-19, sem dúvida, continuará a elevar a importância estratégica dos CTOs em suas organizações. Na verdade, há um número crescente de exemplos de CTOs que se tornaram CEOs. Muitos deles estão em empresas de tecnologia, como os atuais chefes das operadoras de telecomunicações Verizon e BT Openreach dos EUA e do Reino Unido, mas também existem exemplos de organizações que não seriam tradicionalmente consideradas “empresas de tecnologia” incluindo a GE Transportation, o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido e a companhia aérea Garuda da Indonésia.

Essa tendência destaca até que ponto essas organizações estão colocando a tecnologia no centro de sua estratégia para o crescimento futuro dos negócios e mostra o quanto o mundo mudou desde que os líderes de tecnologia se reportaram aos CFOs, já que seu departamento representava um custo operacional.

Os CTOs também estão cada vez mais vendo o papel do CEO como uma progressão natural. Uma pesquisa de CTO feita pela consultoria de RH Korn Ferry descobriu que 51% gostariam de passar a se tornar CEO – mas apenas 12% gostariam que esse fosse seu próximo movimento imediato. Com mais de dois terços afirmando que conduzir uma empresa por meio de uma transformação foi sua oportunidade de carreira mais importante, para muitos CTOs, a recuperação pós-pandemia provavelmente será um período de definição de carreira. O sucesso será baseado na velocidade com que eles podem impulsionar a agilidade dos negócios e permitir o crescimento da receita.

Nossos tópicos