Como falar com teóricos da conspiração – e ainda ser gentil
Podcast

Como falar com teóricos da conspiração – e ainda ser gentil

Especialistas e moderadores do subfórum do Reddit r/ChangeMyView oferecem 10 dicas para desmascarar as teorias da conspiração de forma convincente.

Sejam vizinhos, amigos ou familiares, todos conhecem algum teórico da conspiração. Normalmente essas pessoas são ridicularizadas e postas à margem da sociedade, onde suas ideias infundadas ganham mais força e encontram comunidades que as incentivam.
Movimentos como os da antivacina, nos mostram que esse assunto é sério e é necessário que a sociedade se mobilize de forma assertiva para que esses grupos percam seu poder e influência.

No episódio dessa semana, André Miceli, Carlos Aros e Rafael Coimbra conversam sobre como é importante ter uma comunicação mais respeitosa e produtiva com essas pessoas, para que essa realidade comece a se transformar. Separamos 10 dicas de como conversar com teóricos da conspiração.

Esse podcast é um oferecimento de SAS e Salesforce.


Confira o artigo:

Em 4 de maio, foi divulgado um vídeo de 26 minutos, alegando que o coronavírus era na verdade um vírus manipulado em laboratório, implantado para causar estragos, a fim de que uma vacina decorrente pudesse ser usada de forma lucrativa. Nada disso era verdade, e as alegações de Plandemic foram repetidas vezes desmascaradas completamente. Ainda assim, tornou-se viral, e foi curtido no Facebook 2,5 milhões de vezes. Logo depois, outra teoria da conspiração ganhou força: o plano de Bill Gates era controlar os esforços de vacinação que incluíam o rastreamento de pessoas por meio de microchips implantados ativados por torres celulares 5G. De novo, obviamente, não era verdade.

Mas uma pesquisa do Pew Research Center com adultos nos EUA descobriu que 36% consideravam essas teorias da conspiração prováveis ou definitivamente verdadeiras. Talvez algumas dessas pessoas sejam da sua família, seus amigos ou seus vizinhos.

Então, como você fala com uma pessoa que acredita em uma teoria da conspiração? Isso é algo com o qual os membros de uma das comunidades mais vibrantes da Internet, a r/ChangeMyView, lidam diariamente. Este é o lugar no Reddit onde as pessoas têm suas próprias crenças desafiadas, e é conhecido como um lugar calmo e moderado para debate.

Pedimos, portanto, dicas a alguns de seus usuários mais ativos, bem como a alguns pesquisadores de teoria da conspiração.

Antes de falar, tenha em conta:

É muito humano e normal acreditar em teorias da conspiração. “As teorias da conspiração ressoam em todos nós, até certo ponto”, diz Rob Brotherton, psicólogo que escreveu dois livros sobre teorias da conspiração e notícias falsas. É um mecanismo de defesa: estamos preparados para suspeitar e ter medo de coisas que não podem ser explicadas.

Ninguém está acima das teorias da conspiração – nem mesmo você. Brotherton cita o “efeito de terceira pessoa”, a hipótese de que as pessoas tendem a pensar que o indivíduo médio será muito mais influenciado por notícias falsas ou teorias da conspiração do que elas mesmas. Mas embora você possa se considerar mais inteligente do que sua tia no Facebook, e embora haja evidências de que a educação combate a crença nas teorias da conspiração, a verdade é que nenhum de nós é totalmente imune a elas. Vários membros do r/ChangeMyView disseram que foram pessoalmente impactados por essa percepção e humildade e que isso os ajudou a conversar com pessoas que acreditam em teorias da conspiração.

Nenhum dado demográfico é mais propenso a teorias da conspiração. “Eu já vi muitas representatividades de brancos, negros, asiáticos, hispânicos e indígenas”, disse ihatedogs2, um usuário do site. “Muitas mulheres, pessoas LGBTQ + e com todos os tipos de carreiras. Muitos países diferentes também. Em termos de tendências políticas, há também uma grande variedade, com liberais, conservadores, socialistas, libertários, comunistas, fascistas e muito mais”.

O distanciamento social torna as teorias da conspiração mais atraentes. Joan Donovan, especialista em desinformação da Universidade de Harvard, diz que as teorias de conspiração relacionadas ao coronavírus oferecem um senso de comunidade diante do distanciamento social. “Imagens de pessoas doentes, prateleiras vazias, ventiladores – tudo isso tem sido um trauma grave para nós”, diz Donovan. Sem amigos ou família por perto, as pessoas acham a rede social especialmente envolvente e são atraídas pelo conforto das explicações fornecidas pelas teorias da conspiração.

Todos eles contêm uma semente da verdade. “Há algo verificável em algum lugar ali – algumas informações que são sobrepostas por especulações perigosas”, diz Donovan. Por exemplo, a teoria da conspiração 5G pode ser atribuída a um artigo publicado em dezembro na Science Translational Medicine sobre “pontos quânticos”, partículas que emitem luz infravermelha próxima, que podem ser incorporadas na pele para registrar vacinas. Mas o principal autor do artigo, Kevin McHugh, disse à NPR que não havia rastreamento ou microchips: “Eu nem sei de onde vem isso. Tudo o que os pontos quânticos fazem é produzir luz”. Uma semente de verdade, enfiado em uma teoria da conspiração.

As teorias da conspiração tendem a envolver um “outro” perigoso. Donovan diz que uma base comum dessas teorias é o racismo. “A desinformação se encaixa em ‘O que eles não querem que você saiba'”, diz ela. E a quem eles se referem “tende a ser racializado”.

Todo mundo é um influenciador. E isso é bom e ruim. O movimento antivacina encontrou sua força em celebridades como Jenny McCarthy, que puderam usar a plataforma da atriz para ampliar a causa deles. Agora, com o YouTube e podcasts, o que antes era uma divulgação periférica, ganha popularidade, diz Donovan. Mas isso também significa que existem muitas fontes de desmistificação à sua disposição.

Como falar com teóricos da conspiração

  1. Sempre, sempre fale respeitosamente. Todas as pessoas com quem falei disseram que, sem respeito, compaixão e empatia, ninguém abrirá sua mente ou coração para você. Ninguém vai ouvir.
  2. Vá para o privado. Donovan diz que, quando vê alguém postar algo problemático nas redes sociais, ela não critica na seção de comentários. “Posso enviar uma mensagem a alguém ou entrar em contato de maneira personalizada por meio de DMs, ao invés de postar publicamente na rede deles”, diz ela. Isso evita que a discussão fique embaraçosa para quem publicou a postagem e transmite uma compaixão e interesse genuínos na conversa, em vez de um desejo de humilhação público.
  3. Teste as águas primeiro. Assim você poupa tempo e energia. “Você pode perguntar a pessoa o que seria necessário para que ela mudasse de ideia e, se ela disser que nunca mudará, você deve acreditar na palavra dela e não se incomodar em se envolver”, me disse o moderador do r/ChangeMyView, ihatedogs2. De fato, o subreddit possui uma lista de comportamentos que indicam se uma pessoa está ou não aberta à discussão.
  4. Aceite. Lembra-se da semente da verdade? As teorias da conspiração geralmente apresentam elementos com os quais todos podem concordar. Estabeleça aqueles que ajudem a criar confiança e uma vibração do tipo “estou do seu lado” para preparar o terreno para as coisas mais difíceis que estão por vir.
  5. Experimente o “sanduíche da verdade”. Use a abordagem fato-falácia-fato, um método proposto pela primeira vez pelo linguista George Lakoff. “Declare o que é verdade, desmistifique a teoria da conspiração e declare o que é verdade novamente”, diz Donovan. Por exemplo, se estiver conversando com alguém que acredita na teoria da conspiração 5G, você pode estruturar seu argumento como “O coronavírus é um vírus transmitido pelo ar, o que significa que é passado por espirros, tosse ou partículas. Como os vírus não são transmitidos por ondas de rádio, o coronavírus, que é um vírus transmitido pelo ar, não pode ser transmitido por 5G “. É repetitivo, mas reforça fatos e aponta onde a teoria da conspiração não funciona.
  6. Ou use o método socrático. Em outras palavras, use perguntas para ajudar outras pessoas a investigarem seu próprio argumento e verificarem se ele se sustenta. Stuart Johnson, um moderador no r/ChangeMyView, diz que esta é de longe a abordagem mais eficaz que ele encontrou, pois desafia as pessoas a encontrarem fontes e defenderem elas mesmas suas próprias posições. “A melhor maneira de mudar a visão de alguém é fazê-la sentir que a descobriu por conta própria”, diz ele. Isso significa envolver-se em perguntas e respostas até chegar a um beco sem saída, apontando suavemente inconsistências. Estudos mostram que as pessoas geralmente pensam que sabem mais sobre uma política do que deixam transparecer, e o método socrático pode revelar essas inconsistências. Pesquisas mostram que essa tática pode impedir que um lado se sinta atacado.
  7. Tenha muito cuidado com os entes queridos. Todas as pessoas com quem falei hesitaram quando perguntadas sobre como confrontar um ente querido, como pai ou irmão, que acredita em teorias da conspiração. Muitos disseram que recuariam se o relacionamento fosse extremamente próximo. “Você precisa fazer um cálculo para determinar se vale a pena começar isso”, me disse ihatedogs2. “Quão profundamente eles acreditam nisso? Quão prejudicial é a crença deles?” Pode ser difícil, mas morder sua língua e escolher suas batalhas também pode ajudar sua saúde mental. Como outro usuário do r/ChangeMyView, Canada Constitution, colocou: “Um Dia de Ação de Graças harmonioso é preferível a brigas nas redes sociais”.
  8. Perceba que algumas pessoas não querem mudar, independentemente dos fatos. Em áreas altamente politizadas, os pesquisadores descobriram que algumas pessoas racionalizam seu sistema de crenças – mesmo que a realidade os contrarie – simplesmente porque é difícil estar errado. O usuário Canada Constitution se deparou com isso uma vez ao tentar conversar com alguém que pensava que a medicação psiquiátrica era uma conspiração: “Não importa quantos estudos revisados ​​por especialistas eu mostrasse, eles não se incomodavam. Em vez de ficar frustrado, aproveitei a oportunidade para fazer mais perguntas para entender suas crenças”. A adoção dessa abordagem não apenas ajuda a refinar seu argumento, mas também é mais compassiva.
  9. Se ficar ruim, pare. Um moderador do r/ChangeMyView sugeriu “IRL se acalmando” (IRL = sigla em inglês para designar, “na vida real”): desligando o telefone ou o computador e dando uma volta. Outro colocou de maneira ainda mais simples: “Se não estou gostando da discussão e ficando com raiva, simplesmente paro.”
  10. Cada pedacinho ajuda. Uma conversa provavelmente não mudará a mente de uma pessoa, e tudo bem. “As pessoas não terão mudanças radicais em suas crenças de uma só vez”, disse-me themaskedsepernt, um moderador do r/ChangeMyView. “Às vezes você pode mudar um pouco a perspectiva de alguém, como a água corroendo uma rocha. Você não desmascara uma teoria da conspiração, mas abre caminho para alguém no futuro fazer isso”.

Nossos tópicos